5 clássicos e 5 contemporâneos: as dicas de livros para o seu amigo secreto

Dezembro chegou. E também as confraternizações do serviço, dos melhores amigos, dos melhores inimigos e os intermináveis encontros de família, com o tio do pavê e tudo o mais.

E, junto com o as festas, vem o famigerado amigo secreto. Nós, do Lombada Quadrada, não fugimos à regra e acabamos por participar de um ou outro encontro para troca de presentes. Mas temos uma norma: presenteamos com livros. Ou, no máximo, um mimo como os caderninhos (nem tão) fofos da Pronto Cadernos, que você pode conhecer aqui. E já é tradição aqui no blog indicar bons livros para o seu amigo secreto. Foi assim em 2016, 2017 e 2018.

Para manter a escrita, em 2019 selecionamos cinco grandes clássicos da literatura brasileira. E também cinco contemporâneos, para mostrar que tem muita coisa boa rolando na literatura deste maltratado país.

Vamos aos livros?

Clássicos

  1. Boca do Inferno, de Ana Miranda – Companhia das Letras

Um dos maiores sucessos da editora, acaba de completar 30 anos e ganhou uma edição comemorativa. Leitura saborosa das aventuras e desventuras do poeta Gregório de Matos na Bahia do século XVII. Com base em meticulosa pesquisa histórica, Ana Miranda reconstruiu os passos do poeta, neste romance biográfico que é marcado por uma linguagem barroca e pela inserção dos textos atribuídos a Matos no contexto da trama. Excelente leitura para a virada de ano e as férias de janeiro. Amigos e amigas secretxs adorarão este presente. O Lombada tem uma breve resenha neste link.

  1. Capitães da Areia, de Jorge Amado – Companhia das Letras

Entre os muitos clássicos produzidos pelo escritor baiano, Capitães da Areia me tocou pela história dos meninos de rua da Salvador do começo do século XX, beirando entre o abandono e a delinquência. Romance que fez parte da minha formação como leitor, retrata a relação conflituosa e preconceituosa de uma parcela da sociedade soteropolitana com os meninos e meninas que perambulam por praias, mercados e ruas da cidade. O papel da imprensa na demonização da molecada é outro destaque presente na obra de Amado.

  1. Perto do coração selvagem, de Clarice Lispector – Rocco

Obra de estreia de Clarice, Perto do coração selvagem traz um mergulho na vida de Joana, a protagonista, em uma narrativa em camadas temporais que se alternam entre as lembranças de infância e as agruras da vida adulta. Filha, esposa e amante, Joana vai se deixando conhecer pelos seus fluxos de pensamento e na composição feita a partir das diversas vozes de seu círculo social que compõem o romance. Lispector é dona de vários clássicos da literatura nacional e este é um romance para presentear quem ainda vai se aventurar no universo da autora ucraniano-pernambucana.

  1. Claro enigma, de Carlos Drummond de Andrade – Companhia das Letras

Para amigos e amigas que gostam de poesia, nada como o livro que contém aquele que é considerado pela crítica como o melhor poema brasileiro de todos os tempos. O livro é Claro enigma, publicado pela primeira vez em 1951. O poema é Máquina do mundo, que é centro de um belíssimo ensaio de José Miguel Wisnik sobre a relação conturbada e crítica do poeta com a mineração, em especial à praticada pela Vale. A resenha desse ensaio você encontra aqui. Claro enigma é um dos livros mais densos de Drummond, marcado por um momento de desencanto do itabirense com a militância política e marcado por angústias existenciais. Não é o Drummond dos versos mais populares.

  1. Não verás país nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão – Global

Nestes tempos em que a distopia parece ter tomado conta de nossa vida, presentear com esse clássico de Loyola Brandão aquele seu amigo ou amiga que gosta de obras políticas pode ser uma boa. Em uma São Paulo de um futuro não muito distante, Souza, morador de um cubículo no centro da metrópole, amanhece com um furo na mão. Em busca de resposta para esse acontecimento, sai de casa e perambula por uma cidade na qual os automóveis viraram ferro velho depois de um mega congestionamento que paralisou todas as vias. A água é um bem escasso, o clima é árido e a vida das pessoas infernal.

Contemporâneos

  1. Por cima do mar, de Deborah Dornellas – Patuá

Por cima do mar é essencialmente uma narrativa afro-atlântica, que bebe em elementos da história, memória e geopolítica do último meio milênio para relembrar como a periferia brasileira e as dinâmicas sociais do Brasil são resultado direto da diáspora africana no período colonial. Primeira pessoa de sua família a ir à faculdade, a narradora Lígia Vitalina, no entanto, constrói esse entendimento no dia a dia de invisibilidades, pequenas e grandes violências. Esse é o pano de fundo para o romance de Deborah Dornellas, presente em várias premiações deste 2019. A destacar as cenas de violência policial em baile funk no Distrito Federal, inspiradas no excelente documentário Branco sai, preto fica e que a gente vê se reproduzindo em casos como o do massacre de 9 jovens na favela de Paraisópolis. Por cima do mar vai na linha das obras contemporâneas que vêm atacando os mitos da democracia racial e da meritocracia, esses irmãos siameses, ao expor como os processos históricos iniciados há séculos influem diretamente sobre as vidas das pessoas de hoje. Tudo isso numa edição maravilhosa da Patuá – a melhor -, ilustrada com desenhos da própria autora e projeto gráfico de Beatriz Agnelli. Confira a resenha do Lombada aqui. E faça a encomenda para presentear seu amigo secreto diretamente na editora Patuá. 

  1. Os dias antes de nenhum, de Ricardo Terto – Patuá

Dobradinha da Patuá na lista de contemporâneos, mostrando que o editor Eduardo Lacerda está de olho nos novos talentos da literatura nacional. Os contos de Ricardo Terto são arrebatadores. Daqueles que você lê e já quer reler para se deleitar com uma prosa curta, seca e precisa com desfechos surpreendentes. Boa dica de presente para quem gosta de histórias que parecem corriqueiras, mas que estão mergulhadas em um ambiente fantástico. A resenha está neste link e a compra também é direta no site da Patuá. Corra pra garantir seu exemplar a tempo da festa do amigo secreto.

  1. No corredor dos cobogós, de Paula Fábrio – Edições SM – Coleção Barco a Vapor

Pegou aquele primo adolescente ou a irmã mais nova no amigo secreto da família? Então faça a criatura mergulhar no universo de Haidê e Benjamin, que separados pelo tempo, mantém uma relação intensa, sem nunca terem se conhecido. A trama de No corredor dos cobogós se passa entre Santos, São Vicente e Cubatão, transitando entre os anos 1980 e o tempo presente, tendo como centro um apartamento onde Haidê viveu sua adolescência no passado e onde Benjamin irá morar com a avó, descobrindo os escritos da menina que ali morara. Paula Fábrio construiu uma trama saborosa de se ler, reunindo aventuras, descobertas, solidão, sede de conhecimento, paixões, meio ambiente, política e filosofia nas histórias paralelas de Haidê e Benjamin. Narrativa deliciosa, daquelas que te fazem mergulhar na leitura até o fim, com gosto de quero mais. No site da editora, o livro está recomendado para alunos de 7º e 8º ano. Mas garanto que gente de todas as idades vai se encantar. Falei sobre o livro no canal de vídeos do Lombada. É só clicar aqui para conferir.

  1. O crime da galeria de cristal e os dos crimes da mala – São Paulo, 1908-1928, de Boris Fausto – Companhia das Letras

Três crimes que abalaram a ainda pacata São Paulo do começo do século XX. A cidade crescia movida pelo dinheiro do café e foi sacudida por casos de assassinatos movidos por paixões, ciúmes e ambição. O historiador Boris Fausto reconstrói a história desses casos a partir das notícias de jornais da época e de consulta aos processos criminais. Em fevereiro de 1909, um jovem é conduzido a uma armadilha fatal em um hotel. No quarto, é assassinado pela antiga amante e por seu marido. Em setembro de 1908, um jovem passageiro de um transatlântico é flagrado tentando jogar ao mar uma pesada mala com um conteúdo macabro: o cadáver de seu patrão, um comerciante da 25 de março. E no ano de 1928, a cena quase se repete, quando o forte cheiro de uma pesada bagagem embarcada em outro navio destinado à Europa levanta suspeitas e acaba por revelar a presença de pedaços em decomposição do corpo de uma mulher. O historiador relata os casos e sua repercussão na sociedade paulistana com uma escrita fluente e saborosa. Esse é um livro que vai fazer sucesso na festinha do amigo secreto e será uma ótima leitura para a virada do ano. Confira a resenha do Lombada aqui.

  1. Carta à rainha louca, de Maria Valéria Rezende – Alfaguara

“O que esperar de um romance histórico epistolar sobre uma freira no Brasil colonial, escrito por outra freira, nossa contemporânea, no século 21? Buenas, se a religiosa em questão for Maria Valéria Rezende, só poderia vir coisa boa. Foi com essa certeza que comecei a ler Carta à rainha louca. Delícia do começo ao fim, o livro traz todas as marcas de Maria Valéria: escrita fluida e espirituosa, humor fino e crítica social, desta vez acrescida de perspectiva histórica. Quem já leu outros romances da escritora ou a ouviu em festivais literários sabe do que estou falando.” Foi assim que Renata começou esta resenha cujo texto assino embaixo. Uma das melhores leituras de 2019, Carta à rainha louca guarda parentesco com Boca do inferno pela reconstrução histórica do Brasil colonial, desenvolvendo uma trama epistolar que traz à tona reflexões muito atuais sobre o lugar da mulher na sociedade. Belíssimo presente para quem gosta de textos carregados de sarcasmo e humor ácido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s