O testamento

De Rainer Maria Rilke.

250544_215103878511279_5446111_nFoi o primeiro Rilke que eu li, curtinho. Trancado num castelo na Suíça com a intenção inicial de continuar suas “Elegias”, Rilke saiu de lá meses depois com este ensaio sobre o processo criativo e o paradoxo de ser estimulado pelo amor e, ao mesmo tempo, ter necessidade de ficar longe de sua amante para escrever. Meio que uma necessidade de sofrer, acho. O texto é interessante, merece ser lido e relido, mas não me marcou. Edição linda da Editora Globo (milagres acontecem!) traz fac-simile do texto original em alemão, na caligrafia do autor, nas páginas pares; nas ímpares, a tradução em português da página correspondente.

(Publicado originalmente no Facebook em 28 de maio de 2011)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s