Boca do inferno

De Ana Miranda

384983_305748962780103_260112592_nNa Salvador do século 17, matava-se e morria-se pelos favores do império português e pelo privilégio de explorar com autorização régia. No meio da guerra entre os Viera Ravasco (do Padre Antônio Vieira) e o alcaide Teles de Menezes, está Gregório de Matos, o poeta das sátiras pornográficas que todo mundo estuda nas aulinhas de literatura. Romance quase policial, maravilhoso por reproduzir o clima de faroeste que reinava na colônia. Tinha 13 anos da primeira vez que tentei ler este livro, mas a linguagem rebuscada do barroco brasileiro me afastou na terceira página. Tem hora certa pra tudo.

(Publicado originalmente no Facebook em 7 de dezembro de 2011)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s