Kindle, seu lindo!

KindlesQuando o primeiro Kindle chegou em casa, pelas mãos da amiga Paula Fontenelle, tudo parecia caminhar para a convivência harmoniosa. Renata e eu juramos amor eterno por nosso mimo amazônico, com sua linda capa laranja.

Baixamos livros, dicionários, povoamos o bichinho de letras em português, espanhol e inglês. Seria essa uma convivência pacífica e duradoura?

Até então, a única ameaça à coexistência do casal tinha sido o jogo do Pacaembu. Renata não gosta que eu lembre. Mas fomos assistir a um Corinthians x Sport, nas numeradas. 3 x 0 para o time que dali há meses seria bicampeão mundial. Tarde traumática, pois não me contive nas comemorações. E Renata, a poucos metros da torcida do Sport, teve de ser resignar. Sofrimento que entendi e respeitei.

Mas esse jogo ficou no passado. Lamentamos juntos a queda do Leão para a Série B. E comemoramos juntos o título mundial do Timão, com pedalada na av. Paulista e champanhe francês às dez da manhã de domingo, 16 de dezembro de 2012.

Mas, quando comecei a levar o Kindle em minhas viagens, uma nuvem pairou sobre nossa convivência harmoniosa. Nada de brigas, kindle atirado contra a parede, xingamentos. Passava por nossa mente a semente do ciúme.

Antes de um desfecho trágico, Renata resolveu a questão. Sabedora de que viciados levam às últimas consequências seu envolvimento com o objeto do vício, a moça encomendou um novo Kindle, que chegou nesta semana para instalar a paz em nosso reino de palavras.

Se bem que ela gostou mais do que devia da capa roxa do meu Kindle.

Perigo!?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s