O amor não tem bons sentimentos

o amor não temVou abusar do direito ao livre pensar que marca as resenhas deste blog e farei uma associação entre dois livros, distantes no tempo e na geografia, embora irmanados no idioma. Associação que é totalmente baseada em impressões pessoais, é bom ressaltar. Isso porque o romance O amor não tem bons sentimentos, de Raimundo Carrero, que acabo de ler, me remeteu ao incrível O esplendor de Portugal, do romancista lisboeta António Lobo Antunes, que li no final dos anos 1990.

À medida que avançava na leitura do livro de Carrero, o pensamento confuso de seu personagem Matheus (ou Mateus? Cuidado na revisão, Editora Iluminuras!) me transportava à família de angolanos retratada por Lobo Antunes.

Em comum, pessoas destroçadas pela decadência econômica, assassinatos, a perda de bens materiais e uma total fragmentação dos laços de parentesco.

As narrativas se aproximam por levarem o leitor ao universo psíquico de personagens que entram em crescente paranoia, deixando no ar uma permanente dúvida sobre o limite entre realidade e alucinação.

O jornalista Carrero consegue nos colocar dentro dos pensamentos de Matheus, com a mesma habilidade que o psiquiata Lobo Antunes nos faz penetrar nas alucinações da família  de “retornados”, os luso-angolanos expulsos da África pelas guerras de libertação.

À beira do Capibaribe, sol, calor, acordes de saxofone e o corpo de uma menina morta. Assassinato? Acidente? Incesto? Estupro?

Alucinação, paranoia, medo, o fim.

Carrero, mais uma vez, pegou de jeito este leitor com um livro difícil, quase impenetrável e, por isso, belo e instigante.

PS: Depois de avisado por Rafael Monteiro, que estuda este livro em sua dissertação de mestrado, e com o carinhoso recado de Raimundo Carrero, retifico aqui a menção às diferentes grafias do nome de Matheus, que variam à medida em que seu estado mental se altera. Optei por este post scriptum para manter o texto original e assim dar crédito a quem gentilmente me alertou. Agradeço também aos inúmeros compartilhamentos deste comentário sobre um livro tão impactante. De novo, recomendo aos corajosos leitores deste blog que leiam Raimundo Carrero.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s